Escassez na renovação coloca arbitragem em xeque

 Escassez na renovação coloca arbitragem em xeque
Digiqole Ad

A mais de duas décadas, Lúcio Fernandes “Bozzó”, segue na arbitragem do futebol amador na região. Segundo ele, para melhorar a arbitragem, seria necessária a renovação, pois os árbitros estão velhos.

Aos 53 anos de idade, Bozzó trabalha há 24 anos com arbitragem, 20 anos deles dedicados ao futebol barretense. O jogo que mais marcou sua vida foi a final entre Camarões e Frigorífico, tendo Camarões se sagrado campeão. “Apitei durante muitos anos a Copa Três Rios, que é um campeonato forte que acontece em Minas Gerais. É o equivalente a Série B do Campeonato Paulista, de alto nível.” – destaca ele que apitou jogos onde participavam jogadores como Zé Roberto, Marronzinho, Ednan, Éder e Marcos Vinícius. 

Atualmente Bozzó exerce a função de bandeirinha nos jogos promovidos pela Liga Barretense de Futebol. Fora dos campos, o árbitro é funcionário público da Prefeitura de Colômbia.

Para ele, os árbitros são bem qualificados, no entanto, é necessária a renovação. “Tem uma moçada chegando, mas a quantidade é muito pequena. Além disso, arbitrar é uma paixão e tem ainda o tempo de maturação que leva em média oito anos.” – destaca.

Digiqole Ad

Redação

Relacionado

Deixe um comentário

Ops, você não pode copiar isto!