Educação inclusiva atende mais de 400 crianças com deficiência

 Educação inclusiva atende mais de 400 crianças com deficiência
Digiqole Ad

O município vem se destacando com garantia do acesso, permanência e aprendizado de crianças e jovens com deficiência na rede de ensino. Em 2015, 427 crianças eram atendidas pelo programa, segundo a coordenadora de educação inclusiva, Maria Alice Duarte Pereira.”Atendemos alunos com transtornos e síndromes, como deficiência auditiva, baixa visão, deficiência múltipla, esquizofrenia, paralisia cerebral, Down e autismo, entre outros. A educação inclusiva é um processo contínuo e de grandes desafios.” – comentou.

A variação em relação aos tipos de deficiência acompanhadas passou de 14 em 2013, para 20 neste ano. “Essa maior abrangência do atendimento especializado reflete tanto sobre a melhora do diagnóstico quanto na avaliação. É importante este trabalho, pois permite que os alunos com deficiência possam acompanhar a sala de aula regular, o que possibilita a inclusão.” – destaca, acrescentando que todas as 47 unidades da educação municipal estão aptas a receber alunos com todos os tipos de deficiência.

“O crescimento do atendimento revela o aumento da confiança dos pais na Educação Inclusiva de Barretos.” destaca a secretária municipal de Educação, Valéria Recco.

Os alunos com deficiência frequentam no período livre, até três vezes por semana, o AEE (Atendimento Educacional Especializado), além das aulas regulares. “Temos 15 salas de recursos multifuncionais totalmente equipadas, sendo que em algumas escolas funcionam em dois períodos, totalizando 21 salas em funcionamento. Todas as professoras são especialistas que possuem conhecimento em libras, braile e tecnologia e, também são responsáveis por orientar as professoras das salas regulares na adequação do material didático.” explica Maria Alice. 

Para a professora especialista, Maria Angélica Joudatt Gambarato, o AEE é uma forma de tentar eliminar barreiras do dia a dia dentro das escolas. O objetivo da intervenção pedagógica é propiciar melhoras do desenvolvimento cognitivo do aluno com deficiência, no que abrange a memória, resolução de problemas, concentração e atenção. Ela enfatiza ainda que não são aulas de reforço escolar e sim de aprendizado e comunicação alternativa, com acessibilidade, buscando a eficiência destas crianças através do que ela gosta de fazer.

“Nós priorizamos a autonomia do aluno, dando incentivo e capacitando cada um a destacar sua potencialidade.” – acrescenta a professora especialista, Neiva Regina Ribeiro Botelho.

A Secretaria de Educação de Barretos possui convênios com a ABAVIN (Associação Barretense Vida Nova) e AMA (Associação dos Amigos do Autista), possibilitando atendimentos especializados como neurologia, fonoaudiologia, psicologia, psiquiatria infantil, tanto para as crianças quanto para o pais.

Dados da Secretaria de Educação mostram que o maior número de alunos com deficiências matriculados corresponde a déficit intelectual. São 225 estudantes do Ensino Fundamental e 58 da EJA (Educação de Jovens Adultos) acompanhados pelo AEE. Em seguida, aparecem os casos de TEA (Transtorno do Espectro Autista) ou autismo, com 14 alunos matriculados, Síndrome de Down com 13 alunos e deficiência múltipla com 11 alunos da EJA.

Digiqole Ad

Redação

Relacionado

Deixe um comentário

Ops, você não pode copiar isto!