Carboidrato: vilão ou mocinho?

 Carboidrato: vilão ou mocinho?
Digiqole ad

O Carboidrato sempre foi uma incógnita para quem decide emagrecer e muitas pessoas se perguntam se deveriam ou não excluí-lo da alimentação, uma vez que sempre foi considerado um dos principais responsáveis pelo ganho de peso.

Muitas pessoas, assim que optam por eliminar peso na balança, começam um verdadeiro massacre contra o carboidrato e aí surgem as dietas malucas, que restringem o seu consumo ou que simplesmente o eliminam do cardápio diário.

Surgem, assim, a dieta da proteína ou as opções de não consumir carboidrato após às 18h00, não comer arroz, nem batata ou qualquer outro tipo de alimento que contenha o tão temido elemento.

Por outro lado, nutricionistas que se mantém atualizados defendem que não é necessário radicalizar e que o carboidrato tem, sim, um papel importante na alimentação e não deve ser excluído.

Mas, afinal, o carboidrato é vilão ou mocinho na dieta? A nutricionista Ludmila Rezeck desmistificou o carboidrato e esclareceu algumas dúvidas em relação a esse macronutriente tão presente em nosso dia-a-dia.

“Depende do contexto, obviamente o consumo excessivo de carboidratos simples, potencializa os riscos de doenças metabólicas, como a resistência insulínica ou até diabetes. Agora, carboidratos provenientes de frutas, legumes e tubérculos, por exemplo, são totalmente bem-vindos em qualquer dieta. Tudo vai depender do contexto, da qualidade e da quantidade de alimento ingerido, do metabolismo basal do indivíduo e da prática de atividade física, levando em consideração a intensidade dos treinos”, explicou a nutricionista.

Sobre cortar o carboidrato da alimentação, Ludmila Rezeck destacou que o correto é ajustar o horário e a quantidade de consumo.
“De forma alguma é necessário cortar o carboidrato para emagrecer. Claro que alguns macronutrientes entram em horários específicos na dieta e os nutricionistas conseguem remanejar muito bem isso, mas sem necessidade de excluir”, apontou a especialista, que explicou também sobre a dieta low carb.

“Na dieta low carb a pessoa pode consumir até 130 gramas de carboidratos, provenientes, principalmente, de frutas e vegetais. É uma dieta em que não entram produtos industrializados, então o teor de carboidrato é naturalmente menor”, disse.

Mais um mito que assombra a maioria das pessoas, principalmente na hora do jantar, está relacionado ao consumo do carboidrato à noite. A dra. Ludmila Rezeck afirmou que não há necessidade alguma de excluir esse macronutriente do jantar, podemos fracionar o consumo, deixando uma porção para o período noturno sem problemas.

“Comer carboidrato à noite não engorda, o que faz ganhar peso é um superávit na somatória total de calorias que ingerimos durante o dia todo, é comer mais do que se gasta em relação às calorias. Alimentos que contém carboidrato não são, necessariamente, mais calóricos. Cada grama de carboidrato gera 4 kcal, cada grama de gordura, por sua vez, gera 9 kcal. Então, se pensarmos na mesma quantidade em gramas de um produto com maior teor de gordura vai gerar mais calorias do que um produto com carboidratos”, explicou a nutricionista.

Por fim, a especialista esclareceu sobre os produtos integrais e seus benefícios, lembrando que esses alimentos não são, necessariamente, responsáveis pelo emagrecimento.

“O produto integral é composto por muitas fibras o que é benéfico porque diminui o índice glicêmico do alimento, que seria a velocidade com que a glicose chega a corrente sanguínea e altera a glicemia, além de auxiliar no bom funcionamento intestinal. Mas, não é o fato de ser integral que faz emagrecer. Mesmo que a pessoa coma apenas produtos integrais, se extrapolar na quantidade de calorias, vai engordar. A questão, para qualquer tipo de alimento, é a qualidade e a quantidade”, concluiu a nutricionista.

Digiqole ad

Redação

Relacionado

Leave a Reply