29 de Setembro de 2017 às 10:41Aquino José

Tolerância zero para o desrespeito


Gustavo Santos disse que a Defensoria Pública tem obrigação de defender os vulneráveis. (Foto: Câmara Municipal)

INTERVENÇÃO FEDERAL MUDA LIDERANÇA DOS RURAIS

Constrangido, Sebastião Mesquita de Lima, o primeiro presidente da Associação dos Trabalhadores Rurais de Barretos, reassumia em março de 1970, a liderança do então Sindicato da categoria. Ele substituía o então presidente José Pedro Martins, que foi impedido de exercer suas funções em virtude da intervenção do Ministério do Trabalho na Federação dos Trabalhadores Rurais, onde era membro do conselho fiscal. O novo presidente tinha em sua diretoria o vice Osório Pereira Borges, que mais tarde também se tornou comandante da entidade, e o tesoureiro Luiz Martins. Naquela época, a entidade tinha acabado de construir sua nova sede, na rua 4 nº 844, entre as avenidas 13 e 15. A instituição tinha mais de 2 mil associados, mas apenas cerca de 800 trabalhadores estavam em dia com suas contribuições. A mensalidade custava NCrs 1,50. No dia 1º de abril daquele ano, o Sindicato completou 8 anos de atividades. Ele foi fundado em 1962, com o apoio do padre Paulo Campos Dal Horto.


TOLERÂNCIA ZERO PARA O DESRESPEITO

O defensor Gustavo Samuel da Silva Santos afirmou que a Defensoria Pública está ao lado de todas as pessoas que possam sofrer algum tipo de opressão. Disse que qualquer desrespeito seja o direito ao nome, seja o direito ao uso ao banheiro, ou a própria existência, ou quaisquer direitos das pessoas transexuais, as vítimas podem procurar o atendimento inicial na instituição, as segundas, quartas e sextas-feiras, das 8h00 às 9h30. “Não toleraremos qualquer desrespeito a qualquer cidadão dessa cidade”, enfatizou. O órgão público está localizado Sétima Avenida, nº 58, no bairro Exposição. 


O PAI DA AUDIÊNCIA

Renato Guedes, coordenador do MBL (Movimento Brasil Livre) e da ONG Escola Sem Partido revelou ser o autor da proposta de audiência pública realizada na Câmara que debateu a utilização de banheiros em escola por gênero. 


REPRESENTANTE E DEFENSOR DA FAMÍLIA

O vereador Raphael Oliveira (PRP) disse que é um cristão e representa a Igreja Católica. Afirmou também que tem vários amigos que representam outras Igrejas. “Eu sou um defensor da família barretense”, frisou. Salientou que não é preconceituoso. 


PREOCUPAÇÃO COM DISCRIMINAÇÃO E PRECONCEITOS

A secretária municipal de educação, Valéria Recco, sustentou que nas unidades escolares de Barretos há uma preocupação para que não aconteça discriminação e preconceito e que ocorra respeito às diferenças. “Abolimos qualquer tipo de discriminação e violência na escola”, enfatizou. 


FOI UM ALVOROÇO

A presença de delegação do Tribunal de Contas na cidade provocou um rebuliço em certas unidades públicas. 


PROGRAMA VAI E VEM

Informações sobre o Programa Leve e Traz no município de Barretos foram solicitadas pela vereadora Paula Lemos (PSB). 


UMA DÚVIDA NA ZONA RURAL

O vereador Lupa (DEM) quer saber da Prefeitura se existe CEMEI no Ibitu, Alberto Moreira, Prata e Adolfo Pinto.  Se o Executivo informar que não há os centros, ele solicita a implantação das benfeitorias nos citados povoados. 


DE CORREDOR BOIADEIRO A COMERCIAL

A instalação de um corredor comercial na Avenida Ibirapuera foi reivindicada pelo vereador Aparecido Cipriano (PP). Ele pediu que o prefeito envie projeto para a Câmara alterando o Plano Diretor do município. 


NO VÁCUO DA ENXURRADA

Vereador Raphael Dutra (PSDB) requereu a implantação de galeria pluvial ao longo da avenida Derby Club. 


O CUSTO DA PROMOÇÃO ACADÊMICA

O custo da promoção via acadêmica dos profissionais integrantes do quadro do magistério em 2017 foi solicitado pelo vereador Paulo Correa (PR). Ele também quer saber se todos os pedidos de promoções da educação foram atendidos. 


NA CARRETILHA DA SAÚDE

O vereador e pescador Wilson Aparecido (PSDB) lançou as redes em favor do bairro Gomes, requerendo da prefeitura a instalação de uma Unidade Básica de Saúde. 


BANHEIRO NO AQUÉM, ANTES DO ALÉM

O vereador Fabrício Lemos (PSL) sugeriu para a Prefeitura a construção de um banheiro público adaptado para as necessidades dos deficientes físicos no Cemitério Municipal. 


DICA DE LEITURA

Sugestão de leitura da semana é “Problemas de gênero – feminismo e subversão”, de Judith Butler, publicado pela editora Civilização Brasileira.

Publicidade

Fale com a gente pelo e-mail

contato@jornalosertanejo.com.br
Participe com sugestões, dicas, comentários e denúncias.

Enquete

Resultados

Podcasts

Publicidade
Publicidade