22 de Julho de 2017 às 08:50Aquino José

Hélio foi o primeiro bispo ordenado em Barretos


Dom Helio Paschoal da sua primeira benção episcopal aos barretenses após sua ordenação.

O calendário marcava o fim do mês de março de 1967 quando a população barretense foi surpreendida pelo toque dos sinos da igreja matriz do Divino Espírito Santo.  Era o aviso que o pároco Hélio Pachoal, sacerdote estigmatino, fora nomeado pelo papa Paulo VI bispo da recém-criada diocese de Livramento de Nossa Senhora, na Bahia.

Ele nasceu no dia 26 de abril de 1927 em Vagem Grande do Sul, São Paulo. Ordenado padre em 15 de agosto de 1951, até 1953 ele foi vigário em São Caetano do Sul. Depois, até 1965, foi diretor do seminário de Ribeirão Preto. Então, foi transferido para Brasília, Distrito Federal. Também foi vigário em Viradouro, SP. Em 1966, assumiu a paróquia do Divino Espírito Santo.

Hélio Pachoal foi o primeiro bispo da ordem no Brasil. A comunidade católica barretense se mobilizou para a ordenação episcopal. O relógio da matriz assinalava 6 horas do dia 25 de junho de 1967 quando repicaram os sinos. A sagração aconteceu em palanque armado em frente ao templo, às 8 horas. A cerimônia foi oficializada pelo bispo de Jaboticabal, Dom José Varani, tendo como consagrantes Dom José Pedro Costa, bispo de Caetité, Bahia; Dom Tomaz Vaquero, bispo de São João da Boa Vista.

Concelebraram a missa o arcebispo de Ribeirão Preto, Dom Feliciano Cesar da Cunha Vasconcelos; dom Artur Horsthius, bispo de Jales; padre José Nagali, provincial dos estigmatinos e cerca de 60 padres. Delegações de várias cidades participaram do evento. Os organizadores calcularam em 20 mil pessoas o público presente na praça Francisco Barreto.

Três corais cantaram na cerimônia de ordenação episcopal. O coral Santa Cecília, regido pelo professor Geraldo de Paula; Pio XII, de Marília, sob a regência  do padre Ferrucio de Mautis; e o coral do Seminário Estigmatino de Campinas. O jornalista Ruy Menezes saudou o novo bispo. O prefeito João Batista da Rocha entregou um mimo ao novo pastor.

Após o ato religioso, houve um almoço para 400 convidados no Grêmio Literário e Recreativo. José Olinto de Andrade Junqueira saudou Dom Hélio Paschoal. A professora Aurea Lenza, diretora do Conservatório Musical Heitor Vila-Lobos executou várias músicas ao piano. Corais também homenagearam o novo bispo, que agradeceu a todos e pediu orações para o seu ministério. Seu lema de episcopado era “Cristo nos iluminará”.

Em 23 de julho de 1967, Dom Hélio Paschoal tomou posse na diocese de Livramento de Nossa Senhora. Em 21 de janeiro de 2004, se tornou bispo emérito. Em seu lugar assumiu Dom José Armando Bucciol, que permanece à frente da diocese até os dias atuais. Hélio Paschoal faleceu em 22 de novembro de 2005, em Campinas. Três dias depois ele foi sepultado na cripta da Catedral de Nossa Senhora do Livramento, Bahia.

 

Nota: não conseguimos identificar o autor da foto.

Publicidade

Fale com a gente pelo e-mail

contato@jornalosertanejo.com.br
Participe com sugestões, dicas, comentários e denúncias.

Enquete

Resultados

Podcasts

Publicidade
Publicidade