22 de Novembro de 2018 às 09:40

"A minha carreira política não é de inocência", diz Fabrício Lemos


Líder do PSL em Barretos, Fabrício Lemos articula fortalecimento do partido. (Foto: Aquino José/ Seven Press)

Nascido na comunidade do Bom Jesus em Barretos, o vereador Fabrício Aparecido Lemos (PSL) foi eleito na terceira tentativa com 701 votos nas eleições de 2016. Conta que sua popularidade no bairro começou a ganhar força quando João Minaré começou a declinar. "Ele só não foi prefeito porque não tinha estudos. E não teve patrimônio porque ajudava muita gente. Eu também ajudo a população tirando 20% da minha renda." - destaca. 

Fabrício destaca que, caso Jair Bolsonaro vier a fazer um bom governo nos próximos dois anos, vai fortalecer a entrada de policiais militares nas Câmaras Municipais. "Tenho conversado com o Major Mauro (PR) para sair a prefeito pelo PSL em 2020." - revela.

O parlamentar pretende se reeleger mais uma vez para vereador e aposta que pode levar consigo mais dois. "Eu me interesso por líderes com menos de 500 votos. O meu partido vai eleger vereadores com pouca expressão de votos." Conta que teve proposta a vir candidato a deputado em 2018. 


Projetos

"Tenho um projeto em tramitação e que vai entrar para em pauta em breve que trata da reinserção do preso na sociedade." Segundo Fabrício, as empresas terão benefício fiscal ao darem oportunidades de reinserção de jovens primários. "Porque o juiz deixa claro, se não conseguirem emprego, poderão ir presos. Muitos jovens voltam para o crime porque não encontram oportunidades."  

No mesmo também consta a reinserção do recuperando em dependência química, onde as clínicas poderão direcionar para o emprego. 


Sonho

"Meu sonho é ver esta cidade industrializada e o fim do [baixo salário] dos frigoríficos que pagam em média R$ 1.300 mensais." Fabrício diz que está muito feliz com a iniciativa do deputado estadual Sebastião Santos (PRB) que está incentivando a vinda da usina de energia para cá. "Tem também a empresa de telemarketing que está em negociação que tem salário inicial de R$ 1.400." Para ele, a vinda de empresas depende da concessão de incentivos. 


Início

Fabrício ingressou na política em 2005 quando se filiou ao PV por indicação de Luiz Carlos Anastácio, o "Paçoca". "Sempre fui bem relacionado e articulado. A minha carreira política não é de inocência." Ajudou alguns candidatos e depois tentou uma cadeira na Câmara Municipal em 2008 e 2012, conseguindo se eleger pelo PSL em 2016. Revela que após eleição de Jair Bolsonaro, tem muitos oportunistas querendo encostar no PSL, "mas eu tenho cuidado com aqueles que querem entrar no partido para não sofrer rasteira."

Fonte: Aquino José e Igor Sorente/ Seven Press

Publicidade

Fale com a gente pelo e-mail

contato@jornalosertanejo.com.br
Participe com sugestões, dicas, comentários e denúncias.

Enquete

Resultados

Podcasts

Publicidade
Publicidade