28 de Junho de 2018 às 14:54Igor Sorente

Rafael Matos destaca formação de jovens empreendedores na região


Rafael Matos do Carmo aponta o empreendedorismo como caminho para os jovens. (Foto: Aquino José)

O empreendedorismo está cada vez mais sendo levado em consideração como plano de carreira pelos jovens e adolescentes inspirados por modelos como Mark Zuckerberg, e nas startups de sucesso. Esse objetivo está substituindo aquele sonho de entrar para grandes empresas. De acordo com Rafael Matos do Carmo, gerente regional do SEBRAE/SP, a unidade local está trabalhando no plano de jovens empreendedores. 

O programa chamado "Jovens empreendedores primeiros passos" com apoio da Prefeitura do Município de Barretos capacita professores da rede de ensino que depois repassam o aprendizado para os alunos. A disciplina estimula as características do comportamento empreendedor, proporcionando um adolescente mais proativo, independente, planejador, estabelecendo metas para sua vida. "A alternativa é mostrar aos jovens que o empreendedorismo não é só uma fonte de renda, mas que também cresçam e sejam geradores de empregos, renda e desenvolvimento regional." - destaca Matos. 

A parceria é gratuita e está sendo levado para outras cidades. O gerente regional aponta que 9240 alunos estudarão a disciplina neste ano em oito municípios da região, incluindo Barretos e Guaíra. O programa também está disponível para escolas privadas

Plano de carreira

"A gente está trabalhando no plano de jovens empreendedores, porque a metodologia da educação não está mudando. Acredito que num futuro próximo as disciplinas serão vivenciais e mais dinâmicas, focadas no comportamento dos alunos." - revela Matos. Para ele, o empreendedorismo é uma alternativa ao desemprego vivido nos dias atuais. 

Startup

O SEBRAE possui programa de desenvolvimento de startups. Matos ressalta que ainda não conseguiu medir o número de startups em Barretos. "A ideia é trazer para cá uma aceleradora de apoio às startups de forma multissetorial." - frisa. 

Menos vagas nas empresas

Cada vez mais, a tecnologia substitui o colaborador em uma empresa. Um estudo realizado pela consultoria americana Mckinsey afirma que, 45% dos empregos nos Estados Unidos, de faxineiro a CEO, poderiam ser substituídos por uma tecnologia já desenvolvida. A mesmo já foi dito pela Universidade de Oxford, no entanto, com um percentual ainda maior, pois para eles 47% dos trabalhadores já poderiam ser substituídos pela tecnologia. Na Austrália, outra pesquisa sobre o futuro do mercado de trabalho realizada pela Foundation of Young Australians concluiu que 60% dos jovens estão estudando em áreas que vão deixar de existir devido à tecnologia. Ou seja, a garantia de emprego dos jovens é o empreendedorismo.

Fonte: Seven Press

Publicidade

Fale com a gente pelo e-mail

contato@jornalosertanejo.com.br
Participe com sugestões, dicas, comentários e denúncias.

Enquete

Resultados

Podcasts

Publicidade
Publicidade