28 de Maio de 2018 às 19:22Igor Sorente

Caminhoneiros rejeitam propostas e recebem apoio da população


Juninho é um dos porta-vozes da paralisação dos caminhoneiros em Barretos (Foto: Aquino José)

Apesar da proposta do governo de reduzir o preço do diesel pelos próximos 60 dias, caminhoneiros seguem parados em Barretos. A greve entrou no oitavo dia e a concentração de manifestantes acontece no quilômetro 425 da Rodovia Brigadeiro Faria Lima, onde aproximadamente 100 veículos estão parados desde segunda-feira (21). Não há bloqueios de pistas e os atos seguem pacíficos.

Em linhas gerais, o grupo tenta reduzir o preço do diesel para patamares observados em meados do ano passado. Alguns representantes do grupo citam como referência o fim de julho de 2017, quando o diesel tinha preço médio em torno de R$ 3. Os caminhoneiros pedem ainda uma medida provisória para uma nova política de remuneração do frete e um decreto presidencial para zerar o PIS/Cofins e também a garantia de 30% do transporte da carga dos Correios, Petrobrás e CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) para motoristas autônomos.


Pauta extensa

Jorge Ramos Junior, o "Juninho", porta-voz do movimento em Barretos diz que o movimento é em favor da população brasileira. "Esse movimento é para que se abaixe tudo no país. A população está cansada de tanta roubalheira e impostos. A gente luta pela baixa de preços dos combustíveis em geral, por melhores condições de estradas, pelo fim da corrupção." - destaca.

Na manhã desta segunda-feira (28) os caminhoneiros no local ainda não tinham previsão do que acontecerá nas próximas horas. Em informações dispersas eles dizem que quando derem o aviso de que "está liberado" todo mundo vai embora. 


Almoço

Moradores vão até o local para apoiar a manifestação e oferecem refrigerantes, comida e água. O almoço de domingo (27) foi uma galinhada servida por um empresário da cidade. Alimentou pelo menos 30 pessoas. 


Medicamentos

Produtos essenciais para a população estão sendo liberados nos pontos de concentração. "Veículos com medicamentos, oxigênio, carga viva, por exemplo, estão sendo liberados, inclusive as doações para o hospital." - frisa Juninho.  


Combustível

Barretenses estão sem gás de cozinha e combustível em Barretos. Não há mais etanol ou gasolina nos postos de combustíveis, com exceção de três postos que receberam caminhões-tanque no início da tarde desta segunda-feira escoltados pela Polícia Militar, porém, a prioridade é atender veículos oficiais e ambulâncias. Diversos veículos da prefeitura estão parados desde quinta-feira (24) por estarem sem combustível.


Protestos a favor da paralisação

Barretos registrou manifestação de moradores a favor da paralisação dos caminhoneiros. Os motoristas saíram em carreata e fizeram buzinaços pelas ruas na tarde de domingo (27). Eles também protestaram contra a corrupção.

Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização ou citação da fonte.

Publicidade

Fale com a gente pelo e-mail

contato@jornalosertanejo.com.br
Participe com sugestões, dicas, comentários e denúncias.

Enquete

Resultados

Podcasts

Publicidade
Publicidade