02 de Fevereiro de 2018 às 09:40Aquino José

Delegado proíbe bebidas alcoólicas no Carnaval


DELEGADO PROÍBE BEBIDAS ALCOÓLICAS NO CARNAVAL

Está proibida a venda e consumo de bebidas alcoólicas em bares, botequins, confeitarias, dancings, cabarés e outros lugares públicos, com exceção de cerveja, chopp e champanhe, segundo decisão do delegado Ildefonso Pinto Nogueira para o carnaval de 1945. A portaria também não permitia a utilização de fantasias “atentatórias a moral”, máscaras, canções imorais e que se referissem ao governo. Também era vedado que ranchos, blocos, cordões e agrupamentos, transitassem pelas calçadas e entrassem em bares, restaurantes e casas comerciais. Bailes, agrupamentos e passeatas, só podiam ser realizados com a licença da Prefeitura. Apenas a Delegacia de Polícia estava apta a autorizar a exibição de estandartes, insígnias ou alegorias nos festejos daquele ano. O sucesso musical da época era a marchinha “Que Rei Sou Eu?”, interpretada por Francisco Alves. Na capital federal, Rio de Janeiro, a Portela foi a campeã do desfile pela sétima vez. A Estação Primeira da Mangueira foi a segunda colocada. Outros tempos,algumas lembranças.


LUÍS CRÊ NA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

O secretário municipal de Indústria, Comércio e Emprego, Luís Fernando de Carvalho está otimista em 2018. Ele crê que neste ano vai melhorar a geração de emprego e renda na cidade. Oremos.


UMA PISCINA OLÍMPICA PARA O BEC

Em setembro de 1964, a Câmara Municipal autorizou o prefeito João Batista da Rocha a destinar verba no valor de 6 milhões de cruzeiros para a construção de uma piscina olímpica no estádio do BEC (Barretos Esporte Clube).  O pagamento seria feito em 6 parcelas durante o segundo semestre do ano seguinte. O negócio não vingou.


AS ABELHUDAS AFRICANAS EM FOCO

A localização e a transferência de colmeias de abelhas africanas para longe dos núcleos habitacionais foi solicitada pelo vereador Ruy Menezes ao prefeito João Batista da Rocha em setembro de 1965. Elas eram consideradas muito perigosas. De acordo com “entendidos” da área, em apenas 30 segundos elas são capazes de injetar 8 vezes mais toxinas em suas vítimas. Credo!


A VARRIÇÃO DO LIXO EM DESTAQUE

A varrição de lixo nas ruas asfaltadas recentemente foi pedida pelo vereador José do Nascimento Prado à Prefeitura em dezembro de 1966.


A UTILIDADE DA LIGA

Em abril de 1967, o vereador Ruy Menezes propôs ao prefeito João Batista da Rocha o reconhecimento de utilidade pública para a Liga Barretense de Futebol.


PROTESTO CONTRA APOSENTADORIA DOS DEPUTADOS

O vereador Matinas Suzuki encaminhou uma indicação à Câmara Municipal em maio de 1968. Ele pedia que fosse oficiado à Assembleia Legislativa de São Paulo uma moção de protesto contra o projeto de aposentadoria dos deputados com mínimo de 8 anos de mandato.


VEREADOR PEDIU ANEXAÇÃO DE FEB À USP

A anexação da FEB (Fundação Educacional de Barretos) à USP (Universidade de São Paulo) foi sugerida pelo vereador Evaristo Ananias de Paula ao prefeito Christiano Carvalho em setembro de 1969. Mas o negócio não deu certo.


DISSÍDIO DOS FUNCIONÁRIOS DA PREFEITURA

O vereador Dionísio Pereira solicitou ao Prefeito o pagamento do dissídio coletivo aos operários da Prefeitura em outubro de 1969. Em fevereiro de 1970, ele renovou o pedido.


ENTRADAS LUMINOSAS NA CIDADE

Em novembro de 1975, o vereador Sebastião Misiara propôs ao prefeito Ary Ribeiro de Mendonça dotar Barretos de Pórticos Luminosos.


UM TÍTULO PARA PACÍFICO

O vereador Paulo Belmiro Ferreira apresentou na Câmara Municipal, em fevereiro de 1980, projeto de decreto legislativo, concedendo título de cidadão benemérito de Barretos a João Pacífico.


UEBE PROPÕE CRIAÇÃO DE EMPRESA PÚBLICA

O prefeito Uebe Rezeck (MDB), em dezembro de 1985, encaminhou projeto de lei à Câmara dispondo sobre a constituição de uma empresa pública municipal com a denominação de PROUB – Progresso e Urbanização de Barretos.


PREFEITO PEDE AUTORIZAÇÃO PARA DOAR TERRENO

Autorização para a doação de terreno para a Associação de Moradores e Amigos do bairro Rios foi solicitada pelo prefeito Ibraim Martins da Silva à Câmara Municipal, através de projeto de lei em julho de 1990.


PRATA É CIDADÃO BENEMÉRITO

Através de decreto legislativo proposto pelo vereador Mussa Calil Neto, em abril de 1995, a Câmara Municipal concedeu título de cidadão benemérito de Barretos ao pecuarista Henrique Duarte Prata.


DICA DE LEITURA

Sugestão de leitura da semana é “Adoniran: dá licença de contar”, de Ayrton Mugnaini Junior, publicado pela Editora 34.

Publicidade

Fale com a gente pelo e-mail

contato@jornalosertanejo.com.br
Participe com sugestões, dicas, comentários e denúncias.

Enquete

Resultados

Podcasts

Publicidade
Publicidade