30 de Dezembro de 2017 às 11:05Igor Sorente

No primeiro mês da 'reforma' trabalhista, Barretos perde empregos formais


Em novembro, mês em que entrou em vigor a Lei 13.467, de "reforma" da legislação trabalhista, Barretos fechou 322 vagas com carteira assinada (-1,02% de variação no estoque), segundo o CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho. Segundo o ministro Ronaldo Nogueira, o resultado "não significa uma interrupção do processo de retomada do crescimento econômico". Ele afirmou que a queda em novembros anteriores foi maior.

O setor de serviços eliminou 243 postos de trabalho formais em praticamente todos os segmentos. A indústria de transformação cortou 40, na segunda maior queda percentual, seguida da agropecuária 25 a menos. A construção abriu 10 vagas.

De janeiro a novembro, o saldo ainda é positivo, com 31.545 postos de trabalho. A administração pública abriu 880 vagas e o setor da construção civil, 67. A agropecuária criou 45, enquanto o setor de serviços eliminou 543, seguido da indústria da transformação com 368.

Mais uma vez, o salário médio de admissão é menor que o de demissão. O ganho de quem foi dispensado era de R$ 1.675,58 em novembro, enquanto o contratado recebeu R$ 1.470,08.

Publicidade

Fale com a gente pelo e-mail

contato@jornalosertanejo.com.br
Participe com sugestões, dicas, comentários e denúncias.

Enquete

Resultados
Publicidade
Publicidade